Eternamente Menina

Janeiro 28 2005

Fernando Pessoa visto por Almada Negreiros

 

 

Nunca os vistes
Sentados nos cafés que há na cidade,
Um livro aberto sobre a mesa e tristes,
Incógnitos, sem oiro e sem idade?
Com magros dedos, coroando a fronte,
Sugerem o nostálgico sentido
De quem rasgasse um pouco de horizonte
Proibido...
Fingem de reis da Terra e do Oceano
(E filhos são legítimos do vício!)
Tudo o que neles nos pareça humano
É fogo de artificio.
Por vezes, fecham-lhes as portas
- Ódio que a nada se resume -
Voltam, depois, a horas mortas,
Sem um queixume.
E mostram sempre novos laivos
De poesia em seu olhar...
Adolescentes! Afastai-vos
Quando algum deles vos fitar!

 

[Pedro Homem de Mello in Os Poetas]

publicado por Menina Marota às 17:09

bom inicio de semana...ao som das palavras de pessoaAzorboy
(http://www.livretransito.blogs.sapo.pt)
(mailto:marco_azor@sapo.pt)
Anónimo a 31 de Janeiro de 2005 às 02:06

Há muito que desejava conhecer-te e devia-te uma visita e um agradecimento. Mas esta falta de tempo. Hoje, confortando o nosso jovem poeta Soul, encontrei-te de novo e disse: hoje é que é!
E em boa hora que vim. Fiquei cliente.
Estou a preparar uma acção conjunta de apoio ao Soul. Sei que alinharás. Entrarei em contacto contigo logo que tenha luz verde, ok?

Nota de rodapé: Tive de sorrir ao ler o teu 'eternamente menina'. Ainda ontem estava a responder a um questionário com a minha filha, chega a idade e eu... 'escrevo 31?' "Mamã!!!!!! escreve 16. Está mais de acordo contigo!"titas
(http://titas.weblogger.terra.com.br/])
(mailto:teresa.matoso@netcabo.pt)
Anónimo a 31 de Janeiro de 2005 às 01:52

...do Pessoa e do Almada tudo bem; O Homem de Mello traz-me recordações bafientas e empoladas de uma folk portuguesa com muito convinha ao António e que passava como entretenimento de enorme audiência numa televisão que aprendia então a andar...as coisas que me vieste lembrar e de como o tempo passa. Fica bem, tem uma óptima semana e...intés!! porquinho da india
</a>
(mailto:baconfrancis@netcabo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 23:33

Venho agradecer e retribuir a visita.
Gostei muito do teu blog, muito mesmo! Voltarei.
Beijinho e boa semanamaria
(http://comorosasdeareia.blogspot.com)
(mailto:maria475@sapo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 23:21

Gostei e linkei...Beijitos http://zonafranca.blogspot.com/Freddy
(http://zonafranca.blogspot.com/)
(mailto:zonafranca@netcabo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 23:12

Grandes homens estes, os Poetas. E ainda "os há sentados nos cafés com um livro aberto sobre a mesa", e claro "todos filhos legitimos do vicio"...Couves
(http://as1001noites.blogs.sapo.pt)
(mailto:couves69@sapo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 19:49

Grato pela sua visita e suas palavras. Não conhecia o seu blog mas ganhou mais um leitor que o visitará regularmente. BjBeja
(http://soimagens.blogs.sapo.pt)
(mailto:beja10@sapo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 19:29

Simplesmente... magnifico! BeijosOcean
(http://www.openroad.blogs.sapo.pt)
(mailto:ocean_cool@sapo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 17:15

Acho que voce escolhe muito bem cada texto que aqui nos apresenta!!Adorei, gostei muito de ler...por acaso nao conhecia este poema...além disso com akela pintura de Fernando Pessoa, poeta que muito admiro pelas personalidades diversas que criou...mt bom!!Beijinhos!E visite-me!sandra
(http://poetisasonhadora.blogs.sapo.pt)
(mailto:sesdias@hotmail.com)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 16:12

Deixo-te um beijo por este poema!...Frog
(http://outravoz.blogspot.com)
(mailto:al.santos@netcabo.pt)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 15:11

Sobre Mim...
Outras Eternidades