Eternamente Menina

Janeiro 27 2005

 

 

No tempo das cores impossíveis
o mundo vai ter tantos tons
que ninguém vai fechar os olhos.

Não vai ser possível sonhar…
o sonho vai ser a vida
a vida vai ser um sonho.

No tempo das cores impossíveis
o azul será tão claro, que quase será branco
e o vermelho tão rubro, que quase será preto.

No tempo das cores impossíveis
as cores vão tomar conta do mundo
e serão tantas, que não poderemos contá-las.

(Mas quem contaria as cores?)

No tempo das cores impossíveis
muitas coisas vão acontecer
e ninguém mais vai ficar sozinho.

Nesse tempo de cores impossíveis
a água será salmão e o salmão será azul.
As rosas serão verdes e as matas serão púrpura.

Os amigos vão andar de mãos dadas pelas ruas, sozinhos...

E quem não quiser olhar pode pintá-los de cores invisíveis
no pensamento... na memória…
Mas eles terão as cores mais bonitas e as mais impossíveis.

No tempo das cores impossíveis

o mundo terá as cores que já existem no nosso coração
as que já existem dentro do nosso pensamento.

 

publicado por Menina Marota às 21:37

É incrível como o mundo da virtualidade consegue mexer com os nossos sentimentos e emoções. Se há uns tempos atrás me dissessem que eu iria sentir o que sinto face a um computador (e ao que ele me proporciona ou pode proporcionar) eu não iria acreditar. Com o meu blog acontece o mesmo do que a ti. É já, definitivamente, um pedaço de mim. Virtualidade sim, mas muito mais.

Beijinho :)Sandra
(http://www.void.weblog.com.pt)
(mailto:almeida649@hotmail.com)
Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 09:23

ó ser profundo/
ó boca queda mas tremente/
ó doce e contida labareda/
ó ar dum sonhado mundo/Manuel
</a>
(mailto:jope103@yahoo.com)
Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 22:49

A poesia devia acompanhar-nos em cada instante da nossa vida. Eu às vezes esqueço-me, mas hoje por exemplo voltei a lembrar-me ao passar por aqui. Gosto da simplicidade que colocas nas tuas palavras :)Joao
(http://tempoinfimo.blogspot.com)
(mailto:joao_2001@hotmail.com)
Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 12:50

já me esquecia... bom fim-de-semana!
bêjitos:)isa xana
(http://borboletamuculmana.blogspot.com)
(mailto:marisa_aires@hotmail.com)
Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 00:02

uma coisa a dizer: gostei:)isa xana
(http://borboletamuculmana.blogspot.com)
(mailto:marisa_aires@hotmail.com)
Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 00:00

Gostei!!alma ébria
(http://almaebria.blogs.sapo.pt)
(mailto:almaebria@sapo.pt)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 18:55

A Palavra é um refúgio das nossas magoas, tristeza, angústias. É a expressão do nosso pensamento.Resulta do nosso raciocíonio indutivo. A palavra é uma senha.
Sem Palavra não há convivência humana. Assim quero que tu sejas feliz e Desejo as maiores felicidades e que tudo te corra pelo melhor assim como nós não deixaremos de ser visitantes regulares ao teu blog. Beijus e Abraços de consolação.
Blue_soulblu_soul
(http://loverias.blogs.sapo.pt)
(mailto:dhilan_1984@hotmail.com)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 16:31

...e defacto as tuas palavras têm-me dado algum alento, minha jóia. Eu ando para vir agradecer...mas não tenho tido coragem. Faltam-me as forças...sequer para me arrastar até ao computador...
O poema traduz isso mesmo: a força das palavras. E quem tem de te agradecer por tudo sou eu. A minha dor...dói...mas sei que tenho de a "gerir"...Aceita um beijo. BlueShellblueshell
(http://blueshell.blogspot.com)
(mailto:sengelo@mail.pt)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 16:19

Às vezes, o sentimento é tão grande que não existem palavras para o descrever, melhor, ainda teriam de ser inventadas para conseguirem transcrever aquilo que sentimos... O poema é lindissimo, em poucas palavras resume tudo!Beijinhu pa ti, espero voltar a ler coisas como esta. ****anewstart
(http://www.dedicadoanos.blogs.sapo.pt)
(mailto:ummail@hotmail.com)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 13:34

É bom ter-te sempre aqui...Claudia
(http://diarioescritora.blogs.sapo.pt)
(mailto:claudiarodriguesfr@sapo.pt)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 13:18

Sobre Mim...
Outras Eternidades