Eternamente Menina

Agosto 04 2005

 

 

Apesar da minha vivência e de alguns dissabores na minha vida, ainda sou das que acredito na boa fé das pessoas, talvez por ser optimista de nascença.

Não fujo aos desafios, não aceito provocações anónimas, dou a cara perante tudo aquilo que faça ou diga, mesmo que saiba de antemão que me irá causar dissabores.

Não aceito falsidades porquanto, quando sou amiga, SOU! Quando não sou, deixo as pessoas em paz, vivendo a sua própria vida.

Sigo um lema, há muitos anos: "Vive e deixa viver".

Há dias o Fernando B do Fraternidade, num texto intitulado "Eu e a Blogosfera" expunha de uma forma muito séria, o seu entendimento sobre Blogs.

Hoje em dia os meios de comunicação são realmente surpreendentes. Se até há bem poucos anos, uma pessoa não era capaz de descobrir os autores de chamadas ou cartas anónimas, hoje em dia, a tecnologia avançou tanto, que já não há lugar para os "anónimos", porque um dia, mesmo sem esperarmos, os descobrimos.

Porque a tecnologia está de tal forma perfeita, que de um momento para o outro, nos dá quase sem querermos, tudo aquilo que precisávamos de saber: a identificação ou seja o IP e mais elementos, de quem nos escreve.

E, aquilo que parecia ser, um comentário ou um e-mail de uma pessoa perfeitamente anónima, de repente, quase sem nos apercebermos, essa pessoa tem um rosto e um nome.

O que fazemos, quando descobrimos isso?

Que fazemos da desilusão que sentimos, especialmente, quando percebemos que essa pessoa já faz parte daquele rol, mesmo virtual, por quem nutríamos muita simpatia?

Porque será que apesar de todas as decepções que ao longo da vida se nos deparam, esta nos magoa ainda?

Não vou referir nomes, nem factos. A pessoa a quem me refiro, ao ler este texto, saberá que é para ela que escrevo.

E, vou continuar o meu caminho.

Exactamente, porque quero continuar a acreditar nos valores morais que me regem, na amizade sincera que pode existir, entre os seres humanos e, acima de tudo, quero continuar a acreditar que o pior inimigo de uma Mulher, não é outra mulher.

 

E mantenho o meu lema: VIVE e deixa VIVER.

publicado por Menina Marota às 14:50

MeninaMarota...vá lá saber-se porquê , há pessoas que, só por existirem , por respirarem , por dançarem, por rirem, por cantarem, só por terem luz e brilharem, só por isso, conseguem irritar outras pessoas, agoniá-las, faze-las zangar ,ainda mais, consigo mesmas.
Lamentemos quem preenche os seus dias a invejar .É um problema que só elas , caso queiram, podem resolver.Continuemos a SER.

Um beijoisabel
(http://www.asassaoparavoar.blogspot.com)
(mailto:palavrasapetrechadasdeasas@hotmail.com)
Anónimo a 13 de Setembro de 2005 às 10:00

Há dias em que consigo dizer que estou aí... para o que der e vier. Para o anonimato doloroso, para o que nada vale e para o que vier de seguida. E há outros em que dói.
Mas chego à conclusão de que não há nada a fazer. E se a desilusão se instala, temos mesmo que a mandar embora, para que ela não tome conta de nós.
Um beijo e vai em frente. Seja na vida ou nos blogs, o que conta é o que somos.Raquel V.
(http://apaginatantas.blogspot.com/)
(mailto:raqs@iclub.com.pt)
Anónimo a 12 de Agosto de 2005 às 16:12



a mulher depois dos 40...............MARAVILHA!!!!!!!!!!!!!


Este texto foi escrito por um HOMEM...

" Tome a mesma mulher aos 20 e depois aos 40 anos. Num segundo
momento ela será umas sete ou oito vezes mais interessante, sedutora e irresistível
do que no primeiro. Ela perde o frescor juvenil, é verdade. Mas também o ar inseguro de quem ainda não sabe direito o que quer da vida, de si mesma, de um homem. Não sustenta mais aquele ar ingênuo, uma característica sexy da mulher de 20. Só que é compensado por outros atributos encantadores de que se reveste a mulher depois dos 40. Como se conhece melhor, ela é muito mais autêntica, centrada, certeira no trato consigo mesma e com seu
homem.
Depois dos 40, a mulher tem uma relação mais saudável com o próprio corpo e com o seu cheiro cíclico. Não briga mais com nada disso. Na verdade, ela quer brigar com o menos possível. Está interessada em absorver do mundo o que lhe parecer justo e útil, ignorando o que for feio e baixo-astral. Quer é ser feliz. Se o seu homem não gostar do jeito que ela é, que vá procurar outra. Ela só quer quem a mereça.

Depois dos 40, a mulher sabe se vestir. Domina a arte de valorizar os pontos fortes e disfarçar o que não interessa mostrar.
Sabe escolher sapatos, tecidos e decotes, maquiagem e corte de cabelo.
Mas, sobretudo, gosta melhor. E tem gestos mais delicados e elegantes.

Depois dos 40, ela carrega um olhar muito mais matador quando interessa matar. E finge indiferença com mais competência quando interessa repelir. Ela não é mais bobinha. Não fica mais inconstante.
Mulher que é mulher, se pudesse, não vestiria duas vezes a mesma roupa, nem acordaria dois dias seguidos com o mesmo humor. Mas, depois dos 40, ela já sabe lidar melhor com este aspecto peculiar da condição feminina.
E poupa (exceto quando não quer), o seu homem desses altos e baixos hormonais que aos
20 a atingiam e, quem mais estivesse por perto irremediavelmente.
Aos 20, a mulher tem espinhas. Depois dos 40, tem pintas.
Encantadora pintas... que só sabem mesmo onde terminam, uns poucos e sortudos escolhidos. Sim, aos 20, a mulher é escolhida. Depois dos 40, é ela quem escolhe. Não veste mais calcinhas que não lhe favorecem.
Só usa lingeries com altíssimo poder de fogo. Também aprende a se perfumar na dose certa, com a fragrância exata. A mulher depois dos 40, mais do que aos 20, cheira bem, dá gosto de olhar, captura os sentidos, provoca fome.

Depois dos 40, ela é mais natural, sábia e serena. Menos ansiosa, menos estabanada. Até seus dentes parecem mais claros. Seus lábios, mais reluzentes. Sua saliva, mais potável. E o brilho da pele não é o da oleosidade dos 20 anos, mas pura luminosidade.

Aos 20 anos, ela rói unha. Depois dos 40, constrói para si mãos plásticas e perfeitas. Ainda desenvolve um toque ao mesmo tempo firme e suave. Ocorre algo parecido com os pés, que atingem uma exatidão estética insuperável. Acontece alguma coisa também com os cílios, o desenho das sobrancelhas. O jeito de olhar fica mais glamuroso, mais sexualmente arguto.

Depois dos 40, quando ousa no quer que seja, a mulher costuma acertar em cheio. No jogo com os homens, já aprendeu a atuar no contra-ataque.
Quando dá o bote, é pra liquidar a fatura. Ela sabe dominar seu parceiro sem que ele se sinta dominado. Mostra sua força na hora certa e de modo sutil. Não para exibir poder, mas para resolver tudo a seu favor antes de chegar o ponto de precisar exibi-lo. Consegue o que pretende sem confrontos inúteis.

Sabiamente, goza de prerrogativas da condição feminina sem engolir sapos supostamente decorrentes do fato de ser mulher. Se você, mulher, anda preocupada porque não tem mais 20 anos, ou porque ainda não tem, mas percebeu que eles não vão durar para sempre, fique tranqüila. É precisamente, a partir dos 40, que o jogo começa a ficar bom!!!


Carlos
(http://vagueando.blogs.sapo.pt/)
(mailto:c_m_a_n_u_e_l@hotmail.com)
Anónimo a 9 de Agosto de 2005 às 16:17

Olá MM. A tecnologia está bastante avaçada e, cada dia que passa, aparecem novas inovações, pelo que não entendo a utilidade de comentários ou mails anónimos. De qualquer modo, não é uma forma "limpa" de enfrentar a vida. Continua o teu caminho, a tua escrita linda, que os teus verdadeiros amigos estarão sempre contigo. Bjokas grandes e uma flor para amenizar o teu diaamita
(http://brancoepreto.blogs.sapo.pt)
(mailto:amitaf324@hotmail.com)
Anónimo a 7 de Agosto de 2005 às 01:15

"A serenidade é o segredo da beleza......Não saias do teu rumo só porque alguma turbolência te aparece pela proa.Continua assim bonita.Beijohagace
(http://bezaranha.blogs.sapo.pt)
(mailto:heldercorreia@sapo.pt)
Anónimo a 6 de Agosto de 2005 às 12:21

A VIDA É UMA OPORTUNIDADE

A vida é uma oportunidade; aproveita-a.
A vida é beleza; admira-a.
A vida é beatificação; saboreia-a.
A vida é sonho; torna-o realidade.
A vida é um desafio; enfrenta-o.
A vida é um dever; cumpre-o.
A vida é um jogo; joga-o.
A vida é preciosa; cuida-a.
A vida é riqueza; conserva-a.
A vida é amor; goza-a.
A vida é um mistério; desvela-o.
A vida é promessa; cumpre-a.
A vida é tristeza; supera-a.
A vida é um hino; canta-o.
A vida é um combate; aceita-o.
A vida é tragédia; domina-a.
A vida é aventura; afronta-a.
A vida é felicidade; merece-a.
A vida é a VIDA; defende-a.

(Madre Teresa de Calcutá)
Carlos
(http://vagueando.blogs.sapo.pt/)
(mailto:c_m_a_n_u_e_l@hotmail.com)
Anónimo a 5 de Agosto de 2005 às 19:41

também eu já tive pessoas que deixaram palavras pouco proprias no meu blog, nem me dei ao trabalho de saber quem são. deixei simplesmente de lhes responder e segui o meu caminho. há pessoas muito tristes e muito zangadas com a vida, as palavras feias ficam com quem as diz. na altura fiquei zangada, mas hoje tenho pena.
sofialisboasofialisboa
(http://sofialisboa.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sofialisboa@hotmail.com)
Anónimo a 5 de Agosto de 2005 às 11:20

Na blogosfera como na vida real, nem tudo o que parece é. Vai em frente, porque aqui na blogosfera (como na vida real) há excepções, e esses estão e estarão sempre contigo de uma forma honesta e sin cera. Bom fim de semanaaflores
(http://omeublog2004.blogs.sapo.pt)
(mailto:albertoflores1957@sapo.pt)
Anónimo a 5 de Agosto de 2005 às 09:34

Tu já sabes o que penso disto tudo, infelizmente neste mundo encontramos de tudo... temos que passar ao lado dessas pessoas que não são mais que umas frustadas e que parecem que só vivem com o mal dos outros.. O teu é também o meu lema.. beijos grandes e bom fim de semanamaresia
(http://www.maresiaazul.blogspot.com)
(mailto:quina777@netcabo.pt)
Anónimo a 5 de Agosto de 2005 às 09:25

e fazes muito bem. É uma atitude saudável. Temos lemas idênticos.Bjs e ;)TMara
(http://estranhosdias.blogspot.com/)
(mailto:Tostimara@gmail.com)
Anónimo a 5 de Agosto de 2005 às 08:17

Sobre Mim...
Outras Eternidades