Eternamente Menina

Janeiro 09 2005

beijar.GIF

 

 

Amar! mas dum amor que tenha vida...
Não sejam sempre tímidos arpejos,
Não sejam só delírios e desejos
Duma doida cabeça escandecida...

 

 Amor que viva e brilhe! luz fundida
Que penetre o meu ser - e não só beijos
Dados no ar - delírios e desejos -
Mas amor... dos amores que têm vida...

 

 Sim, vivo e quente! e já a luz do dia
Não virá dissipá-lo nos meus braços,
Com névoa da vaga fantasia...

  

Nem murchará o Sol à chama erguida...
Pois que podem os astros dos espaços
Contra uns débeis amores... se têm vida?

 

  

Poema de Antero de Quental in “Poesias Completas”, pag. 207

 

publicado por Menina Marota às 16:46

Sobre Mim...
Outras Eternidades