Eternamente Menina

Janeiro 09 2005

 

Senhor meu, Sancho Pança enlouquecido,
Servo vencido
Na terra sonhada,
Tem a coragem da verdade nua:
Olha esta Ibéria que te foi roubada,
E que só terá paz quando for tua.

 

Ergue a fronte dobrada
E começa a façanha prometida!
Cumpre o voto da nova arremetida,
Feito aos pés de quem foi
O destemido herói
Da batalha de ser fiel à vida!

 

Nega-se a ser passiva testemunha
Do amor cobiçoso
Que os falsos namorados
Fazem crer impoluto e arrebatado
Àquela que reflecte o céu lavado
Nos olhos confiados.

 

Venha o teu grito de transfigurado:
Ai, no se muere!... E a Donzela acorda
E renega o idílio traiçoeiro.
Venha o Sancho da lança e do arado,
E a Dulcineia terá, vivo a seu lado,
O senhor D. Quixote verdadeiro!

 

PESADELO DE D. QUIXOTE

 

Sancho: ouço uma voz etérea
Que nos chama...
Ibéria, dizes tu?!... Disseste Ibéria?!
Acorda, Sancho, é ela a nossa dama!

 

Pois de quem hão-de ser estes gemidos?!
Pois de quem hão-de ser?!
Só dela, Sancho, que nos meus ouvidos
Anda o seu coração a padecer...

 

Ergue-te Sancho! Quais moinhos?! Quais?!
Ai! Pobre Sancho, que não sabes ver
Em moinhos iguais
Qual deles é só moinho de moer!...

 

[Miguel Torga, in Poemas Ibéricos (1965)]

publicado por Menina Marota às 16:30

Que te sintas em casa e, volta sempre. Um abraço e um :-))))menina_marota
(http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/)
(mailto:Menina_marota@sapo.pt)
Anónimo a 9 de Janeiro de 2005 às 23:28

Olá, adorei a tua visita,e aproveitei para dar uma olhadinha no seu que por sinal é muito criativo e belo. Sabe adoro Portugal, sempre que posso assisto alguns programa ai pela RTP internacional, mas tu está de parabéns, continue assim, pois adoro os MOINHOS, eles me levam a um passado muito distante do qual eu já vivi, mas isso é outra estória.

Um grande abraço e volte sempre que quiser, sempre tenho algumas novidades.

ZezéMaria José
(http://www.mestradossonhos.zip.net)
(mailto:mariajosecordeiro@msn.com)
Anónimo a 9 de Janeiro de 2005 às 16:49

Sobre Mim...
Outras Eternidades