Eternamente Menina

Janeiro 02 2005

 

Evoca a gente, lamentando,
o passado que morreu,
e fica triste, cismando,
sem saber como nem quando
a ventura se perdeu.

E o coração padece
num suspiro sem par;
toda a tristeza se esquece
todo o mal se desvanece,
como que nasce o luar.

Nas almas suavemente
uma alegria perpassa,
a dor está ausente,
nem sempre o mal é patente,
foi para longe a desgraça.

(08/01/2004)

publicado por Menina Marota às 00:41

Um abraço e um sorriso. Simples como as tuas palavras... :-))) menina_marota
(http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/)
(mailto:menina_marota@sapo.pt)
Anónimo a 5 de Janeiro de 2005 às 00:19

Mas que bem! O sentir é simples. Como a beleza. Quando se complicam, tornam-se feios. Daí a beleza...António
(http://doportugalprofundo.blogspot.com)
(mailto:a.b.caldeira@sapo.pt)
Anónimo a 3 de Janeiro de 2005 às 00:13

Sobre Mim...
Outras Eternidades