Eternamente Menina

Dezembro 24 2004

Aí no local onde estás, invisível aos meus olhos, costumas falar-me de ti... sinto as tuas palavras, os teus temores, a tua "realidade" e descubro uma alma pronta a transmitir toda a doçura que a invade.

A única realidade da vida é a sensação. A única realidade da amizade é a consciência da sensação que a mesma produz de paz, de serenidade e de força de viver... e a capacidade de a transmitir aos outros...

A luta pela vida, trás metamorfoses em nós capazes de sentirmos, cada vez mais, quão belo é o mundo que nos rodeia e a capacidade de amar que todos temos.

Tu és uma dessas pessoas. A tua capacidade de transmitires aos outros carinho e amizade, é como um campo de flores, que perfumam o nosso caminho, mesmo que algumas tragam dores, na ponta dos seus espinhos...

Tu transformas a dor em vida, num viver permanente, porque viver por viver não te basta, mesmo que sintas a indiferença dos outros, porque a indiferença é mal que não nos pode afastar de todo o amor que temos para dar. E isso é uma lição. Uma lição que eu retiro todos os dias, e que me dá força para ultrapassar momentos menos bons em que o desânimo toma conta de mim.

Porque o sofrer não são só as lágrimas que caiem do nosso rosto, são também a dor que as esconde e dentro da alma as sentimos. Liberta a alma da dor e vive o teu momento. Transmite aquilo que sentes no teu coração, um viver com sentires, com carinho, com amargura e verdades...A força do sentir está em ti. Mas nem tudo são rosas, nem tudo são espinhos... talvez girassóis...


No Sol desta manhã, deixo a energia do girassol para ti...a minha amizade e o meu sorriso também... 

 

(17.01.2004)

 

publicado por Menina Marota às 01:08

Olá Olhos. Não percebi a tua mensagem. Será que era para mim? :-)))
menina_marota
(http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/)
(mailto:menina_marota@sapo.pt)
Anónimo a 30 de Dezembro de 2004 às 12:28

Não estou doente a unica razão porque parto é só porque te amoolhos
</a>
(mailto:olhosdeagua@yahoo.com.br)
Anónimo a 30 de Dezembro de 2004 às 01:25

Este texto ainda hoje me causa calafrios... pela intensidade com que foi escrito. Por vezes vou à Sala de Sesimbra ver se lá deixaste alguma coisa (abandonaste aquilo de vez, foi?)e dou-me a ler este texto. Sei que o escreveste com toda a tua alma para a tua amiga doente. Li-o a 1ª. vez no Fórum e depois na sala. Tem algo de mágico. BeijoLena
</a>
(mailto:pkena@iol.pt)
Anónimo a 27 de Dezembro de 2004 às 09:19

Sobre Mim...
Outras Eternidades