Eternamente Menina

Fevereiro 19 2015

livro.jpg

 

Fechou o livro devagarinho. Não lhe apeteceu largá-lo. Deixou-o no colo em cima da macia manta que lhe cobria as pernas.

Uma lágrima quente rolava-lhe pelo rosto enquanto um sorriso aflorava os seus lábios como se recebesse um beijo.

Reclinou-se para trás sentindo a cabeça bater na cabeceira do maple. 

Mil pensamentos filmavam-se no seu interior. Sentiu o calor quente das imagens que a povoavam e o seu sangue ferver como chaleira em lume escaldando.

Amava o amor que lhe tinha dado tanto amor. Amava todo o seu passado como se ama algo que nunca se perderá. Porque será que nada de negativo a invade? Porque será que o amor é tão intenso dentro de si que a não liberta?!

Navega um rumo certo, sabe-o.  

Navega de coração aberto em amor por tudo o que lhe foi dado. A calma da noite, como uma bênção, fá-la viajar no sonho e nas memórias.

Despe-se de preconceitos e sorri.  Na sua frente, os retratos da felicidade. Olha-os. Pensa-os.  

Um sorriso explode-lhe no coração. Velozmente, corre-lhe nas veias.  

O seu olhar brilha como mil estrelas no firmamento.



 [Em memória do JP. Amanhã é dia 20]

 

publicado por Menina Marota às 23:25

Que bom voltares aqui, o meu olhar brilha na tua escrita.
Bj
batidasfotograficas a 1 de Março de 2015 às 01:37

Se o vento parasse
tu surgirias da calmaria do mar!
Vinhas nas ondas que se desfazem na areia,
polvilhando a praia de perfumadas
pétalas primaveris...

Beijos...
AL
A.S. a 11 de Março de 2015 às 14:50

Sobre Mim...
Outras Eternidades