Eternamente Menina

Fevereiro 25 2005

[René Magritte]

 

 

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

 

Alberto Caeiro, "O Guardador de Rebanhos"
 (8-3-1914)


 

Num agradecimento sensibilizado, a todos os que se dignam honrar-me com a participação neste blog, deixo o meu abraço e as palavras de Fernando Pessoa.

 

publicado por Otília Martel às 16:36

Olá, Eterna Menina, sou uma pessoa que conheceste em tempos. Decidi voltar e adivinharás, sim, quem sou ao ver o meu blog. Mudei de nome. Ao ler, compreenderás porquê. O teu blog continua lindo como sempre, talvez até seja o reflexo da pessoa que és, uma pessoa bondosa, compreensiva e solidária.
Um grande beijinho de uma pessoa que não te esquece (é impossível esquecer as pessoas que nos ajudaram em tempos).Virgínia Dostoiévski
(http://diariodavirginia.blogs.sapo.pt)
(mailto:virginiadostoievski@sapo.pt)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 16:46

a honra é retribuida...ainda nao tive tempo de ler a totalidade do teu blog...mas irei faze-lo..continua...bjssarqpatricio
(http://guerradsexos.blogs.sapo.pt/)
(mailto:arqpatricio.bernardes@sapo.pt)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 16:50

Bela combinação esta do poema de Fernando Pessoa com a genialidade da pintura de René Magritte. É sempre um prazer vir ler o poema do dia aqui au teu canto. Um abraço.Armando Ésse
(http://grandefabrica.blogspot.com)
(mailto:afabrica@sapo.pt)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 17:31

Obrigado pelo teu Blog...Beijinho123de4
(http://123de4.blogs.sapo.pt/)
(mailto:123de4_@sapo.pt)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 18:55

O Fascínio de F. Pessoa em sintonia com a tua alma!...

Beijo e bom fim de semanaFrog
(http://outravoz.blogspot.com)
(mailto:al.santos@netcabo.pt)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 19:11

Lindo poema. Mostra que o amor não se vê, sente-se. Às vezes amamos e não sabemos porquê. Ainda não vi a totalidade do teu blog, mas posso afirmar que está muito bom. Parabéns. Continuação do bom trabalho.skater
(http://novonanoite.blogspot.com)
(mailto:naotenho@portugal.pt)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 20:33

o amor visto por pessoa é de uma intensidade quase alucinante, viaja a por entre nem sei bem explicar, mas espantosacarlos barros
(http://republicadospessegos.blogspot.com)
(mailto:carlosberros@hotmail.com)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 21:27

Continuamos por Caeiro que eu acho ser o elo de ligação entre os vários heterónimos de Pessoa, homem dado a conhecimentos esotéricos.
E continuamos bem. Essas multifacetas de Pessoa fazem dele uma referência mundial.
Aconselho-te a ires visitar "ardeoazul3.blogspot.com"
Vais adorar.
Um beijoLetrasAoAcaso
(http://LetrasAoAcaso.weblog.com.pt)
(mailto:letrasaoacaso@hotmail.com)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 22:03

"Amar é reconhecer nos outros um ser misterioso, e não um objecto - tu eras uma vibração à tua volta, não a estreita presença de um corpo. Aqueles que não amamos nem odiamos são nítidos como uma pedra. Sentir neles uma pessoa é começar a amar ou a odiá-los. Só amamos ou odiamos quem é vivo para nós."
Em 'Estrela Polar', Vergílio Ferreira
jocapoga
(http://www.tabemexisto.blogspot.com/)
(mailto:jocapoga@gmail.com)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 22:06

Querida Eterna Menina
obrigado. É sempre bom recordar os mestres.
Um beijo
DanielDaniel Aladiah
(http://aladiah.blogspot.com)
(mailto:aladiah2005@hotmail.com)
Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 23:14

Sobre Mim...
Outras Eternidades