Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eternamente Menina

Eternamente Menina

20.08.10

Breve


Otília Martel

 

Tocas meu ombro nu devagarinho

enlaças meus dedos subtilmente
e num corrupio me envolves
deixando que a música se eleve
entre o corpo e a mente.

 

O sol rompe por entre nuvens

seus raios iluminam o mar

e o meu ser.

 

No olhar galgam ondas de espuma

que se espraiam no teu corpo,

praia minha,

onde sonhos se perfumam

no teu odor,

como carícias breves,

no aconchego dos teus braços

onde permaneci tão breve

como a vida de uma flor.