Eternamente Menina

Fevereiro 17 2005

 

 

 

Deixa ficar a flor,
A morte na gaveta,
O tempo no degrau.

Conheces o degrau:
O sétimo degrau
Depois do patamar;
O que range ao passares;
O que foi esconderijo
Do maço de cigarros
Fumado às escondidas...

Deixa ficar a flor.

E nem murmures. Deixa
O tempo no degrau,
A morte na gaveta.

Conheces a gaveta:
A primeira da esquerda,
Que se mantém fechada.
Quem atirou a chave
Pela janela fora?
Na batalha do ódio,
Destruam-se, fechados,
Sem tréguas, os retratos!

Deixa ficar a flor.

A flor? Não a conheces.
Bem sei. Nem eu. Ninguém.

Deixa ficar a flor.

Não digas nada. Ouve.
Não ouves o degrau?

Quem sobe agora a escada?
Como vem devagar!
Tão devagar que sobe...

Não digas nada. Ouve:
É com certeza alguém,
Alguém que traz a chave.

David Mourão Ferreira, in  Obra Poética,

a págs. 126/127

publicado por Otília Martel às 00:16

e que a chave deixe alguém abrir a gaveta!
mas cuidado! que não tombe a flor...impressaodigital
(http://www.leiturasilenciosas.blogspot.com)
(mailto:anapaiva_7@hotmail.com)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 00:40

que saudades eu tenho deste meu professor! Ele e Vitorino Nemésio marcaram-me profundamente.
Mas...
olha
Há festa da rija no blog da Rah
bute lá dar-lhe um beijo!!!!!!! (Há morango com chocolate, caipirinha, champanhe)
Fui! titas
(http://titas.weblogger.terra.com.br/)
(mailto:tusabes@netcabo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 01:17

mt lindo o poema....mesmo mt....é comovente,,,Azorboy
(http://livretransito.blogs.sapo.pt)
(mailto:marco_azor@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 01:32

Há muita saudade no teu poema ou não li direitinho a msg? Está lindo, parabéns!.......Bjsdocerebelde
(http://Docerebelde.blogs.sapo.pt)
(mailto:DoceRebelde@hotmail.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 08:18

Oi João não consigo comentar nos blogs do SaPo. se eu escrever um recadinho aqui, poderias escrever no blog na menina marota? lá vai, rsrs:
***********
Menina marota, aproveito o blog do querido joão, p/ enviar-te este recadinho.
Sinto muito por não entrar no teu blog para agradecer tuas visitinhas tão simpáticas e ler teus escritos. Não sei o porque disso. Gosto muito das tuas idas ao Retalhos e espero logo ter o prazer de visitar-te ok? Qto ao meu coment, tenho logo dois, não consegues comentar em nenhum?Estranho, não é?
Um beijo doce.

Obrigada João... bjus

Afixado por anne em fevereiro 16, 2005 07:42 PM
Um recado da anne- digam lá se a blogoesfera não é uma coisa gira!?
João Norte
(http://www.intro.vertido.weblog.com.pt)
(mailto:j.norte@netvisãpo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 08:32

E eu para ser do contra vou comentar é a foto. Tirava os quadros, que ficam cortados e só distraem.... de resto está boa :)Mário
(http://sabretudo.blogspot.com)
(mailto:mario.chainho@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 09:12

Com a possibilidade ou não de comentar tudo aquilo que eu vou lendo nas minhas passagens por este tão agradável cantinho, tento sempre ficar um pouco...nas escadas ou à entrada da porta, ou simplesmente deste lado, com calma e sem pressa de sair:)aflores
(http://omeublog2004.blogs.sapo.pt)
(mailto:albertoflores1957@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 09:19

Tão lindo, não me parecia totalmente desconhecido, mas não identifiquei. Depois no final vi o autor e disse. Ah! David Mourão, pois, Que bom recordar grandes obras. E a foto está maravilhosamente bem aplicada. Parabens por tudo. 1 beijinhoViceversa1000
(http://Diario365.blogs.sapo.pt)
(mailto:Viceversa1000@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 10:50

O poema da cumplicidade do eterno David!...
Belissima escolha.

Um beijoFrog
(http://outravoz.blogspot.com)
(mailto:al.santos@netcabo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 11:46

Primeiro: obrigada pela visita. Segundo: temos aqui uma apreciadora de poesia...hummm
Gostei do teu blog!Luciana
(http://www.tribaglobal.blogs.sapo.pt)
(mailto:lucianarmluciana@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 11:53

Sobre Mim...
Outras Eternidades