Eternamente Menina

Janeiro 11 2005

malhoa4g.jpg

 [óleo sobre madeira de José Malhoa]

Congresso de gaivotas neste céu
Como uma tampa azul cobrindo o Tejo.
Querela de aves, pios, escaracéu.
Ainda palpitante voa um beijo.

Donde teria vindo! (não é meu...)
De algum quarto perdido no desejo?
De algum jovem amor que recebeu
Mandado de captura ou de despejo?

É uma ave estranha colorida,
Vai batendo como a própria vida,
Um coração vermelho pelo ar.

E é a força sem fim de duas bocas,
De duas bocas que se juntam, loucas!
De inveja as gaivotas a gritar...

 
[Alexandre O'Neill in O Beijo]
publicado por Otília Martel às 16:44

Olá!Agradeço-te a visita em meu blog...Gostei muito do teu, e particularmente do titulo e da descriçao...eternamente menina, é bom quando em nós permanece uma criança e as lembranças sao sempre permanecidas ate ao fim da vida!
Beijinhos e visita o meu outro blog....
http://nossorefugio.blogs.sapo.pt
sandra
(http://poetisasonhadora.blogs.sapo.pt)
(mailto:sesdias@hotmail.com)
Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 17:07

Olá menina marota. É um prazer vir aqui, como diz a Sandra. Somos ilhas e por vezes arquipélagos. Um beijo e obrigada por isso...deSaraComAmor
(http://oblogdalibelua2.blogs.sapo.pt/)
(mailto:deSaraComAmor@sapo.pt)
Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 18:49

viva a poesia, viva a alegria,...
gostei da visita... cuidado talvez estejas com um produção exagerada... bela mas exagerada... visita-me em:
http://joepimenta.blogs.sapo.ptJoe Pimenta
(http://joepimeta.blogs.sapo.pt)
(mailto:jfsilvasousa@sapo.pt)
Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 19:12

...se do Malhoa não sou um apreciador ( e nestas coisas da arte em que também produzo, sou demasiado exigente para me contentar com aquilo "que a vista alcança"...) já do O´Neill, tens o meu incondicional apoio. Mas o que mais gostaria é de que editasses coisas tuas; vá lá. Deixa que os dedos deslizem sobre o teclado e sejam mensageiros do que vai na tua cabeça...marota.
Abraço e intés!!porquinho da india
</a>
(mailto:baconfrancis@netcabo.pt)
Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 20:02

***Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada.***/Fernando Pessoa/

aaron
</a>
(mailto:aaron@iol.pt)
Anónimo a 11 de Janeiro de 2005 às 21:58

Tinha-me esquecido de te linkar mas agora já estás, espero q não tenhas sentido dor (prazer?? ehheeh)...José
(http://labirintodesilencios.blogs.sapo.pt/)
(mailto:j.g.f@portugalmail.pt)
Anónimo a 12 de Janeiro de 2005 às 11:18

Um beijo perdido no meio de gaivotas...e tantos lábios sequiosos!...

BjsssFrog
(http://outravoz.blogspot.com)
(mailto:al.santos@netcabo.pt)
Anónimo a 12 de Janeiro de 2005 às 13:12

venho retribuir a visita que me fizeste. Gostei bastante do teu cantinho. Voltarei mais vezes.pedevento
(http://pedevento.blogs.sapo.pt)
(mailto:mardapalha@sapo.pt)
Anónimo a 12 de Janeiro de 2005 às 15:56

Deixo-te outro belissimo beijo:
http://www.eecs.umich.edu/~magerko/images/klimt-kiss.jpg
Muitos beijosMaria Branco
(http://cumplicidadespartilhadas.weblog.com.pt)
(mailto:branco_maria@hotmail.com)
Anónimo a 12 de Janeiro de 2005 às 20:47

Lindissimo esse poema.
São todos os poemas do Alexandre , muito bom gosto, inclusive a combinação dos poemas com as imagens.
Adicionei o teu blog aos meus links para poder voltar.
BeijoAlma de Poeta
(http://almadepoeta.blogspot.com)
(mailto:Mulher_Mariense@sapo.pt)
Anónimo a 14 de Janeiro de 2005 às 01:01

Sobre Mim...
Outras Eternidades