Eternamente Menina

Abril 20 2006

 

 

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã...
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não...
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjectividade objectiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um eléctrico...
Esta espécie de alma...
Só depois de amanhã...
Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-me para pensar amanhã no dia seguinte...
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos...
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o mundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã...
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro...

Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã...
Quando era criança o circo de domingo divertia-me toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância...
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital...
Mas por um edital de amanhã...
Hoje quero dormir, redigirei amanhã...
Por hoje, qual é o espectáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espectáculo...
Antes, não...
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.
Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.
Só depois de amanhã...
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã...
Sim, talvez só depois de amanhã...

O porvir...
Sim, o porvir...

 

Álvaro de Campos, in "Obras Completas Fernando Pessoa"

Vol. I, págs 385/386

publicado por Otília Martel às 00:12


Ola Otília queria pedir-lhe a autorização para ter o seu link no meu site. Obrigada desde já

Helena Sofia Silva
Helena Sofia Silva a 23 de Setembro de 2010 às 21:07

Olá, Helena, bom dia!
Claro que sim, será um prazer! E já agora farei o mesmo, se me deixou caminho para o seu, neste e nos outros blogues que também tenho activos.
Grata pelo interesse.
Bj Image

 
Otília Martel a 24 de Setembro de 2010 às 11:46

Eu gosto imenso desse poema deste a primeira x q o li...! Eh simplesmente lindu!

Fica bem e se puderes passa pelo meu blog tmb!
Um ser a 16 de Janeiro de 2007 às 20:43

QUE MARAVILHA!!!!!!!!!!_TUDO_ POEMA* que ja' conheco bem mas leio SEMPRE como se fosse a primeira vez e a PINTURA* QUE E' UM *ESPANTO*!!!!!
BELA* e' ajectivo muito humilde para tal MARAVILHA*!!!!!
_REALLY WONDERFUL_!!!!!!!!
Beijinho.
Heloisa
*****************
Heloisa B.P. a 2 de Novembro de 2006 às 22:03

Belo belíssimo Poema!
"Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã..." ...

Até breve.

Bjo
ConchitaMachado
conchitamachado a 18 de Agosto de 2006 às 00:57

acredites ou não, o FP escreveu esse poema dedicado a mim... infelizmente nem a história o registou, nem eu me lembro disso...

bom blog,
abraço,
ct
Carlos José Teixeira a 7 de Julho de 2006 às 12:26

Bom recordar!!!

Beijos doces e AZUIS
BShell.~0~0~0~0~0~
~0~0~0~0~0~0~0~0
blueshell a 19 de Junho de 2006 às 17:52

Olá menina!!
Pois é.. este poema é giro! Não deixes para amanhã quando podes fazer hoje.. isto se o poema fosse feito por ti.. :P

Beijinhos!
Confissões a 13 de Junho de 2006 às 22:55

tou morta de rir com a a data de comentes que esse indeciso2 te colocou por aí rss Foi por lá que comecei e hoje fazemos dois aninhos nestas andanças em me tens acompanhado. Obrigada.
indeciso2 a 23 de Maio de 2006 às 21:46

Adoro os poemas escolhidos MM ... sempre com um gosto fantástico.
Ana Luar a 21 de Maio de 2006 às 00:53

auele comentário é da Seilá do Repensando. Beijo.
indeciso2 a 20 de Maio de 2006 às 10:15

Sobre Mim...
Outras Eternidades