Eternamente Menina

Setembro 03 2010

 

 

(Imagem de Marek Wyszomirski)

 

   Se um raio de Sol

se desprendesse do teu olhar

e com ele aquecesses palavras áridas

e em lírios as transformasses...

 

Se um raio de Sol

saísse dos teus dedos

e com ele afagasses o denodo

de palavras corteses sem ironias

e ressentimentos...

 

Se um raio de Sol

saísse dos teus lábios e com

ele beijasses o tempo etéreo

dos pensamentos...

 

nas tuas mãos, olhar e coração,

acharias o calor fecundo de ser

energia e razão.

 

publicado por Otília Martel às 17:30
Tags:

Sobre Mim...
Outras Eternidades