Eternamente Menina

Fevereiro 15 2019

Muito do que me faz gostar do local onde vivo e a que chamo carinhosamente de “aldeia” (apesar de ser Vila desde 1987) são os sons da natureza que me despertam os sentidos e que, nas grandes e barulhentas cidades, não se ouvem.

Logo pela manhã ouço os galos vizinhos cantarem estridentemente.
Tal como a passarada em coro ao encetarem grandes e rasos voos que descortino da minha janela a saírem da vegetação onde fazem os ninhos.

Os gritos das gaivotas que, cada vez mais, se fazem ouvir por cima dos telhados, assustam os melros que gostam de debicar migalhas de bolacha que vou colocando no beiral do telhado para eles comerem.

Ultimamente até o mééé de uma cabrinha a comer vegetação no terreno vizinho me despertou a atenção.

Momentos que fazem a delícia dos meus dias.

O tempo e o sol, mais quente, trouxe as andorinhas.

E o céu fica de novo mais animado.

Boa noite!

Era uma andorinha branca
que me batia à janela
e contente anunciava
que chegara a primavera,
ou era eu que sonhava?

 

de, Eugénio de Andrade
in, Aquela nuvem e outras,
a págs 28.

 

swallow at sea by Karen Watson.jpg

Pintura: swallow at sea by Karen Watson

publicado por Otília Martel às 02:10

É verdade, Tulipa! (Maria Afonso)! Os blogues encheram a minha vida. E claro superam de longe qualquer outra rede social incluindo o FB de onde saí no início do anos, apesar da saudade de algumas pessoas que por lá encontrei e reencontrei.
Acho que os blogues vão voltar a ter o mesmo esplendor de antigamente.
Adorei ler as tuas viagens, já lá fui ao teu blogue. 
Foi bom rever-te aqui! 
Um grande abraço e bom fim de semana 


Otília Martel a 14 de Março de 2019 às 21:26

Sobre Mim...
Outras Eternidades