Eternamente Menina

Março 11 2019
Sting - dois meses

Cabias numa caixa de sapatos a primeira vez que te vi e te trouxe para casa.
Tão pequenino. Tão terno e ao mesmo tempo tão traquina.
Não foi fácil disfarçar pés de alguns móveis mordidos. De braços de cadeiras roídos. E tapetes fora do sítio.
Tudo servia para teu brinquedo. O velho e grande Farrusco acolheu-te tão bem! Tornaram-se grandes amigos e quando ele foi ao Veterinário e não conseguimos que voltasse tu correste a casa em sua busca. Dias e dias triste que mal comias.
Acabei por fazer entrar o Tareco na tua vida.
E que bem se deram.
Anos passaram e o Tareco resolveu seguir uma pomba e não voltou.
E tornaste a ficar triste até ao dia que a Ritinha uma Yorkshire mais pequenina que tu, apesar de ser já idosa, veio alegrar a tua vida. Quando ela foi operada e ficou dias deitadinha, com que delicadeza tu te aproximavas dela!
E voltaste a ter brincadeiras a dois.
Anos se passaram.
Pouco tempo depois de fazer quinze anos, a Ritinha deixou-nos.
Ficámos todos tão tristes.
E tu lambias-me o rosto enxugando as minhas lágrimas.
Tinhas dez anos na altura. Compreendias tudo.
E como me ajudaste a superar a partida do JP. A tua companhia foi preciosa. O teu amor um bálsamo.
Quase cinco anos depois, és tu que me deixas.
Tu. O meu amor canino.
O meu companheiro de tantos e tantos anos. De caminhadas. De correrias. De alegria.
Quem me vai secar as lágrimas quando choro?
Quem vai correr para mim quando chegar cansada das compras?
Quem vai esperar por mim no corredor da casa?
Com quem vou conversar nos dias da casa vazia?
Deixaste-me. Em pranto. Em pleno desespero.
Meu amor canino que me fizeste tão feliz e tantas alegrias me deste.
Partiste e levaste o meu coração. A minha alegria. O meu sorriso.

Adeus, Sring.

Meu fiel e amoroso  Amigo.

10.10.2002 - 09.03.2019

Até Sempre, Companheiro!

 

 

publicado por Otília Martel às 22:33

Olá Otília!


Como compreendo e me revejo na sua perda... É como se um pedacinho do melhor que temos partisse com eles. Fez sexta-feira passada um ano que a minha Ritinha partiu. Tinha apenas dois anos quando subitamente adoeceu e nos deixou. Infelizmente nada pude fazer para combater a doença que ma levou. Quis nunca mais ter nenhum, assim que os meus outros dois partirem (o Jaqui e a Nikki), mas o universo  conspirou contra mim e passados 4 meses da sua partida, entraram na minha vida o Kiko e o Ruby... gatinhos de 2 meses. Isto tudo para dizer que... Eles partem, fisicamente, mas nunca mais saem do nosso coração. Lá estarão guardadas todos os bons momentos vividos com estes pequenos anjos! Um grande beijinho querida!
Loulou a 1 de Abril de 2019 às 10:46

Novembro a 29 de Março de 2019 às 23:53

Minha querida amiga como fiquei  triste ao saber do desaparecimento do teu companheiro de quatro patas!!
Um abração solidário de todos nós
aaron a 22 de Março de 2019 às 01:24

Sobre Mim...
Outras Eternidades